Matrizes Tradicionais do Forró como Patrimônio Cultural do Brasil

Um importante passo para o fortalecimento da cultura tradicional nordestina e do nosso país foi dado no mês de outubro. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, lançou edital de Chamamento Público para instrução do processo de registro das Matrizes Tradicionais do Forró como Patrimônio Cultural do Brasil.

O Iphan estabelecerá parceria com uma Organização da Sociedade Civil para realizar estudos, pesquisas e documentações em fotos e vídeos sobre o forró nos estados do Nordeste, capitais como Rio de Janeiro e São Paulo e no Distrito Federal.

Segundo o cantor e compositor brasileiro, Alcymar Monteiro, é uma conquista, pois o forró tem importância na vida musical e identidade do país.

O forró é um gênero superlativo desde seu nascimento com Luis Gonzaga. Tem em seu conteúdo a mais viva expressão da arte musical brasileira. Esse registro de Patrimônio Cultural do Brasil vem tarde. Conheço o Forró desde que nasci, há mais de 50 anos. Tenho certeza, que ao lado de outros gêneros como, por exemplo, o samba; o Forró é a identidade musical brasileira”, comenta o cantor que ressalta ainda que “esse passo é uma vitória para todos os artistas”, afirma o músico.

Grande Mobilização

Desde 2011, quando foi aberto o processo de Registro das Matrizes Tradicionais do Forró como Patrimônio Cultural do Brasil a partir do pedido realizado pela Associação Cultural Balaio do Nordeste, e subscrito por mais de 400 forrozeiros; diversas mobilizações acontecem em todo o país acerca da causa.

O Fórum de Forró de Raiz reúne vários envolvidos na temática, entre cantores, compositores, produtores, Instituições, pesquisadores e artistas da cultura popular tradicional, para levantar dados e debater sobre ações de proteção e preservação das matrizes do forró.

Para a produtora cultural do Fórum Nacional de Forró e presidente da Associação Cultural Balaio do Nordeste, Joana Alves (D.ª Joana); o edital é fruto desta mobilização.

É uma meta cumprida. Estamos em processo de render muitos frutos. Estou muito feliz, estamos quase concluindo os Fóruns e vejo bons resultados, conseguimos envolver quase todo país e isso é fruto da nossa mobilização. É importante que a sociedade se mobilize com a garantia de trazer políticas públicas de conscientização”, afirma D.ª Joana.

O diretor da Associação dos Forrozeiros do Distrito Federal – AsForró, Marques Célio Rodrigues de Almeida, diz que o lançamento do edital é mais uma etapa para o registro que proporcionará segurança e incentivo.

É uma vitória para o segmento, e o esforço dos técnicos do Iphan. Agradecemos, pois entendemos a importância que é o registro. E será muito importante ter este reconhecimento e fortalecimento para que possamos trabalhar com mais tranquilidade e firmeza e mostrar nosso trabalho da forma que ele é”, afirma o forrozeiro.

Para a produtora cultural e idealizadora do Maior São João do Cerrado, Edilane Oliveira, o chamamento é um grande passo para mais conquistas.

A abertura do Edital nos mostra a força do trabalho de equipe e o que a mobilização da sociedade civil e da comunidade envolvida consegue. Estamos felizes e certos que agora iremos adiante. Vamos juntos mostrar que o Forró é Patrimônio e que ele não é só do Nordeste, já ganhou o mundo! Viva o Forró!”, comenta a produtora.

O Fórum Forró de Raíz acontece nos dias 14 e 15 entre as ações do  Fórum Movimento Brasil Junino, no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília!

Saiba mais:

www.brasiljunino.com.br/pt_BR/forum-forro-de-raiz/

 

 

 

 

 

 

Acesse o edital em: portal.iphan.gov.br/editais/detalhes/235/edital-de-chamamento-publico-no-032018-instrucao-tecnica-do-processo-de-registro-das-matrizes-do-forro

Saiba mais em: portal.iphan.gov.br/noticias/detalhes/4856/aberto-prazo-para-cadastramento-de-matrizes-tradicionais-do-forro-como-patrimonio-cultural-do-brasil